,

Estrias: quais são e o que esperar dos tratamentos ?

14:14

Dr. Thiago Martins explica tudinho sobre as temidas estrias 
Quem não tem, com certeza já pôde ver as linhas mal traçadas (Estrias), sendo certo que atormentam a maioria das pessoas, porém, raramente causam quaisquer problemas médicos significativos, mas para algumas pessoas elas podem ser irritantes, angustiantes e causar constrangimento, porque muitas vezes parece que não há nenhuma maneira de se livrar deles. De acordo com estudos, as estrias são encontradas mais frequentemente nas mulheres (55%) do que nos homens (25%). São caracterizadas pelo rompimento das fibras de elastina e colágeno que dão sustentação à pele. São causadas pela rápida distensão da pele na fase de crescimento, pelo desenvolvimento na puberdade (principalmente em mamas e nádegas), mudanças bruscas de peso e também podem surgir na gravidez. Sua maior prevalência ocorre na faixa etária dos 9 aos 35 anos e no sexo feminino. As localizações predominantes são: glúteos, mamas, coxas, pernas, abdômen, axilas e braços. Gosto de relatar que são consideradas um processo de natureza estética, pois não gera incapacitação física ou alteração da função cutânea, mas em alguns indivíduos torna-se motivo de depressão e baixa autoestima.

Existem dois tipos de estrias: as estrias recentes e estrias antigas. Quando são recentes são de cor rósea ou púrpura e estão na fase aguda, já as antigas ficam esbranquiçadas e já se encontram em uma fase crônica. As estrias róseas ou arroxeadas são recentes, podem apresentar discreta coceira e são acompanhadas por um processo inflamatório local; já as brancas como são mais antigas, já ocorreu uma atrofia mais intensa das fibras colágenas e elásticas, e não há inflamação envolvida. Em pessoas de pele morena ou negra as estrias podem aparecer com uma coloração mais escura do que seu (o) tom de pele. Em regra, as estrias são causadas pela sobrecarga da pele, que ocorre em certas condições, como a gravidez, a obesidade e o crescimento rápido. O tecido fica danificado devido ao alongamento, e este alongamento da pele, ou derme, provoca cicatrizes.

As estrias normalmente se formam quando há estiramento da pele, que no geral é causado por um aumento do volume corpóreo. Esse aumento pode ocorrer por causa de gravidez, aumento de peso, colocação de prótese mamária, uso de anabolizantes, ou por fatores hormonais como o uso de estrógeno e hormônios adrenocorticais. O uso prolongado de tratamentos com corticoides também pode desencadear estrias no corpo, assim como fatores genéticos também podem estar envolvidos. Em mulheres é mais comum encontrar estrias nos flancos, coxas, glúteos, abdômen e nos seios. É comum acontecer quando a mulher entra na puberdade e ‘cresce’ muito rápido, ou até mesmo ganha peso em um curto espaço de tempo. Na fase adulta, principalmente durante a gravidez podem aparecer estrias no abdômen e nos seios.

Atualmente uma causa recorrente, que potencializa o aparecimento após a colocação de próteses de silicone, por causa da distensão dos tecidos de forma abrupta.
Já em homens é mais comum nos ombros, braços e costas. Os que se submetem a musculação excessiva ou abusam de anabolizantes são os mais propensos. Em homens o ganho de peso e o crescimento abrupto também são causas de estrias. Se você também quer saber como se livrar delas, eu tenho uma boa notícia, já que temos diversos tratamentos que proporcionam resultados incríveis.

A eficácia dos tratamentos irá depender da fase em que a estria está, o local em que a estria se encontra e sua espessura e o tratamento das estrias é sempre difícil e precisa ser prolongado. É importante lembrar que não há cura total, mas há significativa melhora em sua aparência e que garante uma vida mais feliz e menos angustiante. Dentre os principais fatores que influenciam na melhora estão a genética do paciente, a raça, a idade e a produção de colágeno individual. Além disso, quanto mais cedo iniciar-se os tratamentos, maiores as chances de que os resultados sejam positivos. Há vários tipos de tratamento, desde cremes tópicos, aplicação de ácidos, laser, peelings.

Vou descrever aqui o tratamento de Carboxiterapia e Intradermoterapia:
1 - Carboxiterapia onde o gás carbônico (CO²) aplicado sobre a estria proporciona a produção de colágeno e elastina, além de ajudar no processo de cicatrização devido aos furinhos da agulha. O CO² resulta em uma distensão e assim atua sobre as marcas incômodas. Os benefícios são muito mais evidentes em estrias vermelhas, pois são mais “recentes” e com resultado mais efetivo. As estrias brancas possuem tratamento mais complexo, e melhor fazer associações, pois não poderão ser completamente regeneradas, pois as fibras elásticas já estão totalmente rompidas.
2 – Intradermoterapia onde é injetado colágeno, elastina, Vitamina C, que ajudam na regeneração do tecido.


Portanto, hidratar e manter o peso ideal são estratégias essenciais na prevenção e redução dos impactos das estrias. A boa notícia é que para quem já ganhou as listras desagradáveis, nem tudo está perdido, pois pode realizar procedimentos que auxiliam no tratamento.

Serviço:

Thiago Martins
Rua Denner Cunha Peixoto, 11, Sala 516 - Buritis - BH
Contato: 31 3347-6008

Você pode gostar também!

0 comentários

RECEBER NOVIDADES

Obter um e-mail a cada novo post! Nunca iremos divulgar seu e-mail.