Esse é o meu aniversário por Gustavo Dantas

08:34



A segunda semana de outubro marca a data do meu aniversário e por coincidência entrei em uma playlist do meu ipod que raramente escuto onde armazeno músicas pop de alguns anos atrás.  "It's my brithday.  I'll get high if I want to. Can't deny that I want you..." diz a letra da música de Drake e Riahanna 'Take Care' de 2011. Traduzindo para o português essa parte da música, que é fundo para um belo clipe em preto e branco, Drake diz:  "Esse é o meu aniversário. Posso ficar doido (altinho) se quiser. Não posso negar que quero você...".  O engraçado é que sempre achei que Drake cantava algo diferente e que ao invés de 'get high' (ficar doido, alto), ele dizia 'hide' (se esconder). Sempre achei estranho alguém querer se esconder na data que marca mais um ano vivido, e que diz a todos que foi esse o dia em que surgimos no mundo.  Digo estranho pois a imagem que geralmente vem a mente de um dia de aniversário é aquela onde nos juntamos a amigos e família, talvez para levantar taças em um gostoso brinde, ou para dividirmos em uma grande mesa pratos de um almoço ou jantar especiais, e quem sabe ainda receber muitas surpresas de todos aqueles que se lembraram de nós quando viram algo em uma loja ou até mesmo fizeram algo com as próprias mãos para nos presentear.  

Quando escutei pela primeira vez essas frases na voz de Drake pensei que ele talvez fosse um desses 'loners', como costumamos chamar nos Estados Unidos gente que gosta de ficar sozinho, viver sozinho, e na sua completa estranheza permanecer escondidos em datas alegres como a do seu próprio aniversário.  Pensei logo naqueles homens perigosos como Timothy McVeigh, veterano de guerra que sozinho premeditou e executou um ataque terrorista a um prédio do governo americano em Oklahoma em 1995.  Porém quando parei para pensar, 'loners' não seriam necessariamente pessoas estranhas e perigosas mas talvez pessoas apenas diferentes, e quem sabe pessoas brilhantes tal como Emily Dickinson, famosa poeta Americana de Massachusetts que viveu a maior parte de sua vida reclusa escrevendo em segredo, ou Isaac Newton, grande cientista Inglês que nos presenteou com as leis da gravitação universal (lembram da queda da maçã?) e também com as três leis de Newton (inércia, dinâmica, ação e reação), ou ainda a famosa atriz Sueca Greta Garbo que ficou mundialmente conhecida por sua frase: "I want to be alone" ("Eu quero ficar sozinha").

Existem algumas teorias sobre 'loners' que dizem que tais indivíduos costumam ser mais centrados e mais autênticos do que pessoas muito extrovertidas, e portanto esses 'loners' tem maior potencial em deixar sua marca na história da humanidade. Se isso é realmente verdade eu não sei, mas a verdade é que somos todos diferentes e todos temos nossas características individuais que nos fazem ser únicos, desde o nosso código genético até pequenos detalhes do nosso exterior e da nossa personalidade.  Nosso sorriso, jeito de olhar, modo como andamos, tom de voz, cor da pele, textura do cabelo, gostos e peculiaridades, bem como nossa percepção do mundo (seja ela interpretada pelas lentes da nossa timidez ou extroversão), são o que nos fazem ser quem somos sem termos um único outro igual a nós.

Mas como não sou um introvertido, ou muito menos um 'loner', já aguardo ansioso os amigos que estão chegando para levantar taças cheias daquele líquido borbulhante bastante festeiro, para assim brindar comigo mais um ano vivido e me ajudar a dar boas vindas a essa nova idade que vem entrando na minha vida sem pedir licença alguma. Mal educada ela não?  Agora se vou ficar altinho ou não, como Drake na verdade quis dizer em sua letra de 'Take Care', ah isso eu não vou contar né?  Abraços de quem está ficando mais velhinho e de quem não quer nem por um segundo se esconder neste dia. Esconder nunca. Ficar altinho, talvez.

Por:Gustavo Dantas

Você pode gostar também!

0 comentários

RECEBER NOVIDADES

Obter um e-mail a cada novo post! Nunca iremos divulgar seu e-mail.